RESIDÊNCIA ARTÍSTICA Terra UNA

Interações Florestais 2011

o EU e o Outro EU



De: deborah cimini cancela da silva

Ação, MG

A Proposta

Uma experiência que permeia o ser humano e sua relação com a terra, partindo da percepção do planeta como um ser vivo, considerando corpo físico, energético e espiritual. A partir daí tomamos como referência do EU o nosso próprio corpo o qual usaremos como ferramenta para percepções internas e interações externas com o OUTRO EU, que seria o corpo-terrestre definido pelos limites da ecovila Terra UNA, identificando nele 7 pontos energéticos principais (chakras), da seguinte maneira:
1. percepção do EU: através de práticas de auto-percepção entrar em contato com a energia de cada chakra e definir as características e sensações de cada ponto;
2. percepção do Outro EU: encontrar em terra UNA 7 lugares onde tenhamos experiências próximas das obtidas com os chakras;
3. conexão: encontrar na natureza pedras, madeira ou outros elementos para a ativação desses pontos na terra como faziam os antigos povos com seus totens, domens e menires;
4. ativação: ativar os pontos do corpo-terra com os elementos escolhidos fazendo a conexão terra-homem-céu.

Interação com o Ponto de Cultura

Através de diálogos, exemplos e vivências compreender e trabalhar com os participantes a mesma idéia que serve de embasamento para o projeto, a percepção do corpo humano e da terra como organismos in(inter)dependentes e as relações entre eles.
A proposta é iniciar uma conversa que leve os participantes a pensarem sobre sua relação com o próprio corpo e em que nível eles são capazes de estabelecer uma comunicação direta com ele. Fazer um trabalho de auto-percepção através de respiração, visualizações e/ou posturas de yoga, ensinando algumas práticas para o alívio de tensões. Dar continuidade ao diálogo de modo a criar um paralelo entre o corpo humano e a terra com intuito de compreender a visão e ações do grupo sobre esse assunto. E fazendo o uso de vídeos, imagens, vivências e exemplos gerar debates em torno de questões como o quanto é necessário e de nossa responsabilidade cuidar dos nossos corpos e do grande corpo que é o planeta.

Sobre o artista

Nasci em Caratinga-MG em 1981, moro em Belo Horizonte desde 1997 onde me formei em arquitetura e urbanismo na faculdade Izabela Hendrix em 2006. Desde então trabalho na elaboração e execução de projetos de arquitetura em escritório próprio e ministro aulas sobre sustentabilidade, bioconstrução e arquitetura saudável para estudantes da EA-UFMG em um programa em parceria com a universidade e em feiras e cursos para o público em geral.
Durante minha formação acadêmica percebi a importância de uma compreensão mais profunda da natureza o que resultou em minha formação livre em geometria sagrada, geobiologia, arte zahori, permacultura, bioconstrução, formação de ecovilas, vastu shastra e técnicas de auto conhecimento como yoga, tensigridade, autoecologia, biopsicologia, theta healing...
Hoje me dedico a realização do projeto de uma casa criativa que tem o objetivo de estabelecer uma comunidade urbana com base na permacultura e outras ciências afins desenvolvendo um local de experimentação e trocas na busca de um novo paradigma social. Nesse lugar desenvolvemos projetos de arquitetura e outras artes e movimentos de conscientização em ecologia profunda e sustentabilidade.

Comentários

1. Euro
06/09/2011 12:12
MUITO!!!
2. Euro
06/09/2011 12:10
Mito legal debora, vamos juntos no propósito

Ahoo
3. Luiz Carlos Cobalchini
15/02/2011 00:43
Cara Déborah...

Que o mergulho nessa experiência em consciente sensibilidade, seus grandes olhos alcancem em serena paz a visão da alma que conecta neste Eu que testemunhamos o grande organismo que nos sustenta em todas as suas formas e se revela em luz para que nos encontremos no caminho como Criaturas regozijadas pela Criação que somos e plenas no Criador.

Que o Todo transborde em seu Empty

Sinta-se nutrida em seu mergulho pela imensidão deste Amor que nos desperta em Vida e para a Vida.

PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP
4. Vanessa Moutinho Lima
02/02/2011 15:46
Deborah, que linda e bem estruturada sua proposta e as imagens escolhidas para traduzi-la!
Aho total para aprofundarmos a conexão com nossa origem e nosso destino (terra e céu) nessa linda criação.
Apóio criarmos grupos de exploração da mata, cada um guiado por um projeto...
Gratidão por essa beleza.
Vanessa
5. Aline Cristina da Silva
01/02/2011 13:10
Oi Débora!!

Amei o mito de Egrégora, principalmente este trecho do início de Hermes:

"Quem és tu?
Eu sou Osíris, a Inteligência suprema, que tudo posso desvendar.
Que desejas?
Descobrir a origem dos seres, ó divino Osíris, e conhecer Deus.
Será satisfeito."

Vou continuar pesquisando, pq faz sentido a bessa... E o que é lindo no que vc me perguntou antes é que "A Egrégora pode ser definida como uma energia resultante da união ou da soma de várias energias individuais. Ela é formada pelo afluxo dos desejos e aspirações individuais dos membros daquele grupo."

Isso sim sinmto...o fluxo da energia em um grupo, uma comunidade, uma cidade!

AMEIIIIIIII

Muito obrigada!
6. Flávio Duarte
01/02/2011 09:46
Bom dia Deborah...

Adorei a sua proposta e fiquei muito feliz de ver que você está tomando uma direção de encontro do Eu pelo Outro Eu..!

Isso ai Debrinha vai em frente e conte comigo...desejo descobertas e muitas realizações positivas em sua caminhada pelos "espíritos" ambientais da TErra.

Que emocionante ver sua proposta, muito bem consolidada e com um caminho lindo a seguir nessa pesquisa e vivência de sensações...

Desejo de coração, muita sorte e abertura de seus caminhos pela missão na interação com a Terra.

Abração
Flávio Duarte
7. Ana Reis Nascimento
31/01/2011 18:58
ei deborah,
muito intenso as suas propostas de vivências e percepções do corpo buscando uma sensibilização. interessante tb essa idéia de 'materializar' pontos de energia e relações com o espaço.

espero poder experimentar!

beijos
8. Aline Midori
28/01/2011 23:48
Deborah, o que você concebe sobre a reverberação dos chacras nas costas? É algo que quero aprender.
Seu trabalho tem muito a ver com o que pesquiso e procuro, em alguma medida, praticar.
Nos encontrando nesta ação arte-saúde, será enriquecedor cultivar junto!
Uma musiquinha cantada em torno da fogueira por uns moleques grandes, só pra dar graça:
"Pegue seu ego
e jogue na fogueira
queima mais que pau
queima mais do que madeira!"
Sei que este ego que eles cantaram é diferente dos eus que você expõe, mas rende prosa boa, né?
Amplexos
Midori
9. Renata Borges
28/01/2011 20:55
Que lindo, Deborah!!! Seu projeto me tocou muito. Me identifico com essa urgência de nos perceber como parte de um todo. Muita sorte pra vc! Se não nos encontrarmos por lá, gostaria de trocar umas figurinhas com vc... será que rola? Por email??

Beijos
Renata
10. Flávia Paiva
26/01/2011 23:18
gostei muito do que escreveu do meu trabalho!
muito sentindo tudo!
obrigada!
é bom perceber de fora o nosso trabalho!
muito obrigada!

terra una!!! aiaiai
hora de votar!!
rsrsrs
mas isso não é o que conta! e sim toda essa relação que estabelecemos aqui!
terra una já é!
11. Tiago Folador Galter
24/01/2011 23:15
Muito grato por perceber minha proposta Deborah, tudo aflorou em mim ainda mais quando comecei a ter contato com a prática do ShivamYoga aqui na UFES, sua proposta tem tudo a ver, pois é essa percepção que nos revela as melhores coisas da vida, PARE OLHE ESCUTE...,que a natureza possa te indicar seus pontos energéticos e ative ao máximo sua obra.

OM...Shiva
12. Aline Cristina da Silva
24/01/2011 14:48
Oi Deborah!
Nunca tinha parado para pensar sobre o espírito dos lugares...Que genial isso! Tudo neste universo é dotado de espírito, de uma aurea interligada a um grande sistema que alguns dizem ser Deus, outros dizem ser deuses, outros universo..hehehe
Eu sinto que a "cidade", ou melhor, o local onde os grupos humanos escolhem viver e compartilhar juntos um território, é o local no qual existe uma grande energia que eu sou atraída...Acho que quase todos nós aqui... :)
Porém nunca tinha pensando num espírito da cidade...Pensava mais em algo como uma energia movida por vários seres que se aglomera em um determiando espaço/tempo e que é levado de acordo com as necessidades Mas é uam ótima indagação esta...Estou cá pensando muito. Muito obrigada por este momento...de reflexão. Estava precisando.
E vamos compartilhando mais pq achei muito interessante sua maneira de viver a vida e a arte que é através da espiritualidade.

Grande abraço!
Line
13. Amanda Freitas
23/01/2011 21:29
Nossa, sua proposta me remeteu a alguns pensamentos, experiências e visualizações prévias... Essas coisas que estão postas a quem tem olhos para ver, essas coisas ecoando nos akashicos para quem tem ouvidos para ouvir...Sete é um número místico..sete cores do arco-íris, sete níveis de consciência, sete chakras, sete notas musicas, sete níveis vibratórios...Sempre penso nos movimentos de transformação e de cura planetária como algo que se desdobra de dentro para fora, como um alinhamento, somos catalisadores, manifestadores, ao nos conectar com o todo,e nos alinhar na vibração correta reunimos a energia necessária para realizar o que acreditamos... Muito legal os conhecimentos que você relacionou, especificamente relacionar tudo isso com a arquitetura! É como expandir todos esses conceitos para fora de nós, no nosso "habitat"! rs

:)

Boa sorte!
Luz.
14. Mariana Soares
21/01/2011 12:47
Pois é Dedorah, tbm vejo uma interação, sua proposta contribuiria muita para que COR(po) NA PAISAGEM fosse realizado com mais profundidade. Beijos na torcida!!
15. Angelo Luz
15/01/2011 12:44
Olá Deborah!

Nossa, senti muita conexão com a sua proposta! Acho que vc coloca de uma maneira bastante poética essa idéia de relação com o ambiente. Meu trabalho circula nesse nicho! Seria um prazem compartilhar a Serra da Mantiqueira contigo!

Um abraço e boa sorte!
16. Mariana Soares Leme
14/01/2011 01:38
Sua proposta é importante não apenas para Terra Una, é importante para o Planeta! Belo trabalho, parabéns!
17. Khalil Charif
10/01/2011 17:44
Trabalhar o "EU", esse "it" de cada um, essa percepção interior, os chakras, o "anterior" e intrínseco, esse auto-conhecimento. Sem dúvida é uma experiência das mais reveladoras e necessárias (pena que não fazemos disso uma rotina, no melhor sentida da palavra).

Trazer isso pra residência me parece muito bacana, me parece que as pessoas da ecovila em si já tem muito dessa conscientização, dessa prática diária.
O que talvez seja o caso de justamente dar a essa proposição política (interior sua, e diária, também muito sua) uma outra condição, um elevar isso a uma condição outra - até pela sua proposição: elegendo ela como arte!

Além de pertinente, muito interessante essa sua ligação com sustentabilidade, com as ecovilas, Deborah.

Parabéns!!!
Que se percebam os elementos, as naturezas, os homens, a arte!!!
18. Gilio Mialichi
09/01/2011 19:50
Oi Deborah

Quanta proposta inscrita de qualidade...cada um com sua poética, objetivo e conhecimento adquirido durante a vida...

Aqui todos temos muito a oferecer e aprender também...e é por isso que estamos juntos nessa.

Aproveito para convidar aos que ainda não visitaram e apreciaram os projetos para fazê-lo. Vale muito a pena...pessoas novas, conhecidos, dúvidas, poéticas semelhantes,surpresas, emoções....diversidade!!!

Minha proposta inscrita é "Homocrisálida"... passem por lá e registrem suas impressões.

Também tenho um blog com imagens de outros trabalhos que contam um pouco da minha história artística. Se puderem visitem:

gilioarte.blogspot.com

Escrevam.......... gmialichi@hotmail.com

Até

Gilio Mialichi

19. Flávia Paiva
09/01/2011 14:41
o outro é a propria arquitetura do lugar chegando a outro - pessoa sendo assim criada uma rede.
gostei tbém da relação estética do seu trabalho, vendo a foto acupultura na terra.

o que envolve é a conciência corpo-natureza de forma ativamente politica, isso me interessou!

20. Gabriela Brandão
08/01/2011 11:40
Sentir para compreender. Compreender para respeitar. O que acontece no macro se repete no micro. O processo é o mesmo e é um só. É fundamental resgatar, lembrar sempre e, principalmente, praticar essa conexão íntima e total.
Parabéns pela proposta e boa sorte!
Grande abraço!
Gabi
21. Júlia Castro
07/01/2011 18:19
Deborah,

Acredito e vivo a partir da idéia de que o que acontece do lado de fora é um reflexo do que acontece no nosso interior.
Nada mais adequado, nos dias de hoje, que refletir sobre a conexão do seres humano com nosso querido planeta a partir da percepção da nossa própria energia e da consciência de como cuidamos de nós mesmos.

Parabéns pelo projeto!

Júlia
22. Marcela Cimini
07/01/2011 17:29
A experiância sem dúvida poderá ser muito bem aproveitada pela Terra UNA. Encontrar no espaço os seus pontos energéticos (chakras) principais, para depois trabalhar sua ativação irá proporcionar uma grande ligação entre os participantes e todos que ali vivem com essa terra, que já é trabalhada com tanto cuidado e respeito. Uma experiência que fortalecerá este elo, transformando a vida dessas pessoas e da terra onde vivem.

Beijos!!
23. Igor Amin
06/01/2011 17:34
Deborah,

lendo sua proposta "o EU e o Outro EU" me fez refletir sobre a relação entre arte e espiritualidade, e como esta pode ser alcançada através da livre expressão do Eu, ou do ser! Quando penso no outro ser, penso no meu próprio ser, ao ponto de imaginar que estou conectado a terra como ela está em mim!

A Relação da identificação dos pontos energéticos (chakras) com o espaço físico onde será realizado as 'interações estéticas' é muito válida ao meu ver, quando pensamos a arte como um instrumento de conexão e integração! Ainda mais bacana é a relação entre espaço e tempo que, através de um ato/performance, poderá sensibilizar as pessoas sobre a importância de uma terra que uni, ou melhor, dessa "terra una"!

Abraços e boa sorte com sua proposta!

Igor
24. Gilio Mialichi Neto de Oliveira
06/01/2011 14:59
Oi Deborah, boa tarde...

O "Eu e o outro eu" promove a evocação e energia vital e do autoconhecimento mental e corporal.

Essa prática também pode participar de procedimentos criativos artísticos de todos os participantes da residência já que o fazer arte também é energia canalizada...

Boa sorte

Gilio Mialichi
25. Carolina Lemos Coimbra
05/01/2011 20:43
Consciência, conhecimento, desenvolvimento...ser, sentir, estar...vivenciar! RESPIRAR!

Precisamos dessas ações!

Grata e sorte para nós! :)
26. Rosa Yazigi
01/01/2011 11:12
Que o universo regue paz e prosperidade em 2011 dentro de cada "SOL" que brilha ou que ainda há de iluminar. Viva e deixe viver!
Um forte abraço!