RESIDÊNCIA ARTÍSTICA Terra UNA

Interações Florestais 2011

bolha



De: mavi

Ação, SP

A Proposta

Objeto-ação-vivência feita a partir de plásticos bem finos e transparentes, que se infla com ar e com a qual se pode interagir de forma livre e espontânea, BOLHA é desencadeadora de criação pela experiência do sensível que se manifesta por sua manipulação. Como uma colcha de retalhos, plásticos são fixados uns aos outros formando um balão cúbico que ao ser inflado abre caminhos para expansão das sensações e para processos criativos. Esse aspecto de fragmentos menores criando um corpo maior remete à constituição celular, ao orgânico.
BOLHA se faz como manifestação coletiva desde sua elaboração, relação da obra com os indivíduos-participantes-público por meio de oficina-vivência para fabricação das bolhas-cubos em trabalho conjunto: promove-se o relacionamento com o local e seus habitantes.
Proposta desenvolvida com Estela Tiemy a partir de 2008, temos realizado ações em diversos lugares e situações tanto em ambientes internos como áreas externas.
Sendo assim, no Interações Florestais, pretende-se realizar intervenções com BOLHA em experimentações possíveis explorando as áreas, matas e campos, em consonância com a Ecovila e com seus habitantes, deixando fluir aspectos oníricos.

Interação com o Ponto de Cultura

BOLHA tem um caráter híbrido: ação-movimento-corpodança-instalação-intervenção-organicidade efemera-performace; corpo frágil que se constrói e se vai desmantelando.
Inerente aos próprios processos de existência do trabalho, a interação com o Ponto de Cultura acontece junto e/ou em paralelo com as propostas. Deseja-se a relação da obra com os indivíduos-participantes-público. Para tanto, na construção das peças e intervenções, convida-se para oficina(s)-vivência(s), neste caso, os habitantes, os artistas parceiros do programa da residência e demais interessados.
Podem haver alguns encontros/vivências. Normalmente compramos sacos plásticos e fita durex (matéria prima das peças), porém imagino que propor algum processo de reciclagem de sacos plásticos seria cabível no trabalho com o Ponto de Cultura. Deste modo, entraríamos em acordos sobre como providenciar esse material (plástico) com os habitantes, caso esta opção se apresente possível. Do mesmo modo, após as intervenções, o grupo deve ser responsável também por recolher os restos que por ventura houver dos locais de ação.
Realizaremos, portanto, em conjunto: vivências-construção da(s)BOLHA(S) e intervenções nos diversos locais.

Bolha | Mavi Veloso from CASA TOMADA on Vimeo.

intervenção na UEL, Londrina-PR

Sobre o artista

Graduado em Educ. Artística Licenciatura em Arte Visual Universidade Estadual de Londrina, 2009.
2009_workshop Percepção Física com Alejandro Ahmed, cena 11, Londrina; aulas Expressão Corporal/Dança Vocal Profª Dra. Margarida Morini Vine Londrina-PR.
2010_Ateliê Aberto #3, residência artística Casa Tomada (Set-Dez, SP; MANINFESTARTE, evento de performance (13-30 Ago)Londina-PR: ideal/org e ações despétalas repétalas e quase todos nus (performances); Intervalos.interrupções.passos em falso, instalação-performance resultado oficina Estudos Corpos-Geográficos de Nathalie Fari, SP; despétalas repétalas (desenhos/pinturas) e trampolim pra coração enamorado (instalação vitrini), exposição CCultura UEL_Artes Plásticas, Londrina-PR; PAPECLARKOITICICA, intervenção-performance Coletivo MANADA Londrina.
2009_Circuito Sensorial, Intervenção-performance com Coletivo MANADA no 3º contato UFScar, São Carlos-SP; MIP2 apresentação BOLHA (Estela Tiemy e Mavi Veloso) e Instalações Efêmeras, como resultado do workshop com Dudude Herrmann, BH-MG; BAZÓFIA, noite de performances, intervenções Casa de Cultura UEL_Artes Plásticas, org com coletivo MANADA e apresentação despétalas repétalas(performance).

Comentários

1. Marcela Antunes
31/01/2011 19:16
Ahhh que vi seu trabalho(fotos) no trampolim!
de mais, de mais!
Estive la na edicao anterior... espero ver a bolha ao vivo***


bjkssss
2. Ana Reis Nascimento
29/01/2011 15:58
ei mavi,
tinha visto um desses seus vídeos, acho q no facebook da thelma bonavita.

lindo a proposta da bolha, membrana-permeável, brincadeira de dentro-fora, virar um corpo com outro peso e leveza, corpo-coletivo, corpo que voa com o vento.

sorte procê.

beijos,

3. Cindy Quaglio
21/01/2011 19:09
corrigindo, o site é sem br
4. Cindy Quaglio
21/01/2011 19:08
Oi Mavi,
desculpe a demora em responder, estava viajando e longe de computador... Faz um ano que não trabalho com o Toshi, coisas da vida foram dificultando nossa parceria, mas sempre que posso participo de alguma atividade do jardim dos ventos, o toShi é meio que meu mestre, então de alguma forma a relação vai se mantendo, mesmo que a distancia... se quisar saber mais sobre o trabalho fizemos um site:
www.jardimdosventos.com.br
abraço
5. Deborah Cimini
21/01/2011 13:04
Oi Mavi,

Que sonho lindo e que delícia de bolhas...viva o sonhar! Levar as pessoas para esse lugar e ainda interagir com as brisas desvendando os segredos do ar deve ser de muita alegria e um grande prazer. Parabéns!
6. Natalia Godinho Coutinho
21/01/2011 10:13
Tem meu voto =)
7. Ana Elisa Carramaschi
21/01/2011 01:19
Quero me envolver pelo oco, ouvir o suor dos poros, admirar paisagem sem foco, dentro da bolha, com você.
Mavi, boa sorte pra nós.
Beijo
8. piatan
20/01/2011 17:09
Ola péssoas realmente este texto não ficou claro, acredito que somado a não divulgação da imagem do projeto, na qual sintetizará tudo, de uma forma precisa, e de onde parte as reflecxoes do textos, uma série de conceitos emaranham-se, não consegui resolver em 1000 caracteres...clramente mas trata-se de uma incerção poetica por meio de uma palavra, desvendada em residencia, que objetiva de alguma forma dar voz a esta paisagem assim,a palavra saudade é uma pnesada a primordio pois vem de um ativismo que habita as terras de viana, no que tangem a atual monocultura do capím, e de um processo de desmatamneto violentamente, e que o trabalho apresenta como kmeio de ação fisica e afetiva. bo que tange ao tempo, a conciencia e arte
9. Tiago Gomes
20/01/2011 12:10
Oi Mavi!
é o corte do corte da corte mesmo.

A minha idéia é aceitar ajuda de quem quiser ajudar e se surgirem mais poemas e o tempo e as possibilidades permitirem fazer mais poemas.

Acredito que essa residência deve ter um caráter interativo e co-participativo.
Todos poderemos participar das bolhas cubo?
Quanta bolhas podem passar sobre um poema?

10. Douglas Pego
20/01/2011 11:36
oi Mavi, querido. Vc não tá pirando não.

Pretendo adquirir um número limitado de cerâmicas, tipo 300 talvez, e residir todo esse tempo em Terra Una fazendo uso apenas destas ceramicas.

Alguns caminhos recorrentes quero mante-los. Por exemplo de uma saída de casa até um varal.
Quando deslocar pra outros lugares vou montando e desmontado a medida que andar. Uma lógica que encontramos em vários situações de organização do espaço pelo homem, como estradas de asfalto e de terra..os caminhos de pedras nas fazendas e sítios...enfim. É isso.

Espero podermos nos encoontrar em breve!
adorei conhecer essa sua alegria. bjao
11. rodrigo d'almeida
20/01/2011 10:14
Oi Mavi.
A sua proposta para a residência é especial. Plasticidade, formas de arte, lúdico Imaginei as bolhas inflando em cima de árvores onde ventos mais fortes sopram, nas cachoeiras que com sua força e movimento geram tb o poder do vento e pelos caminhos de Terra Una.

Trabalho com jogos de cooperação aplicados em
escolas e em uma das vivências utilizo um paraquedas que infla de acordo com o movimento dos participantes. Gostaria de te mostrar essa vivência.
Eu curti muito sua proposta e espero soprar ventos inflantes de colaboração ao seu trabalho lá em Terra Una.
Um abraço.
12. Flávia Paiva
19/01/2011 22:47
se quizer e tiver me add no face
www.facebook.com/#!/profile.php?id=1157868973
13. Flávia Paiva
19/01/2011 22:45
parabéns pelo trabalho! vi seu video frame, e ter a Paulinha como parceira é estar muito bem acompanhado!

bons ventos as bolhas!
14. Amanda Freitas
19/01/2011 21:04
Olá, Mavi!!!
Puxa vida, aquela praia ficou no ar...rs...E a bolha que herdei daquele samba caótico ficou no pé...rsrsrs
Adorei partilhar a experiência do Trampolim contigo, lindo!
Sabe, vendo aqui suas imagens fiquei pensando nas coisas que você disse sobre o seu trabalho e a sua vontade de trabalhar com o vento...é lindo isso, porque te sinto como uma pessoa muito leve... é tão fácil sorrir perto de você. Tão leve...cuidado que um dia essa bolha te leva looooonge!!!!!!!!
Agora mesmo escrevendo, não posso evitar de sorrir...Fiquei muito feliz de você ter ido acompanhar meu vestirdespir, e mais ainda de poder entrar na sua bolha! rs

Um abraço leve!

Boa sorte!
Luz.
15. Aline Cristina da Silva
19/01/2011 17:13
Oi Mavi!!! Não creio que é vc! Sou eu de Curitiba e agora Rio Claro. hehehe. Amiga do Fe, Moira... Bom, cê tava perguntando sobre idéia do meu projeto em relação a psicogeografico e corporal... Como tudo é corpo e afeto vamo lá...
Meu projeto é a realização de um mapeamento/resultado/afetivo do corpo enquanto intérprete e cidadão(CORPOGRAFIAS); da cidade(Rio Claro/Liberdade); e da Natureza (Terra Una). Tudo inicia um mês antes da residencia na minha cidade(Rio Claro), seguido de minha tragetória de Rio Claro/SP até Liberdade/MG e finalizado com a vivência diária com a comunidade, residentes e interessados. O procedimento em Rio Claro será o registro e mapeamento que poderá ser feito de algumas maneiras que chamo de "convencionais" (foto, vídeo,mapa geográfico) e as "não convencionais" (esculturas, colagens, pinturas, dança, rabisco, brincaderas, jogos,etc...). Durante a viagem farei apenas o método de registro convencional, por que na vivencia optarei por outros e infinitos meios de apreensão e registro. Estes dias de vivência resultarão em "sub-obras" - se assim posso dizer - no qual formarão um grande "mapa". Neste grande "mapa" toda a trajetória, história, experiência, não só minha, mas de todos os participantes estarão inscritos. A idéia deste grande mapa não ser só meu, mas de todos que vivem a cidade e o campo. Que experienciam lugares e as vezes não se dão conta da importancia geográfica, local e afetiva(PSICOGEOGRAFIA). Acho que a falta de afeto nos lugares fazem os tornarem esquecidos e sem importância. Por isso luto para que todos se conscientizem que é importante cultivar o bem estar do espaço, seja ele urbanos, seja ele "rural". Esta é minha idéia inicial... que poderá mudar...Estou aberta a sugestões, críticas para melhorar e desenvolver isso.

No mais me fale mais do seu projeto...Dessa grande bolha, que metaforicamente me fez lembrar da nossa falta de contato com a natureza e tb de um filme de um menino ou homem que vivia numa bolha...Era doente, algo assim. Ai sempre que me lembro deste filme me pergunto como deve ser a terrivel não viver a vida sem ficar doente, sem se machucar, sem correr riscos... é triste...
Bem, essa boha de plastico fico imaginando se é "retornavel" Parece ser divertida...Ela é feita como? Vc a manda produzir ou vc mesmo é quem faz? E depois d eusada o que acontece com este material?

Bom beijinhos gato!!!
16. mavi
19/01/2011 13:57
Valeu Douglas e o Tiago, os quais acabo de conhecer em Vitória. Vcs foram incríveis, especialmente o Douglas que participou tão ativamente desde a convocatória para elaboraçao coletiva da Bolha, pra que a dita pudesse se concretizar lå no Trampolim_, o Tiago que, sendo de Vitória, nos foi um quase guia quando começamos a intervençao na rua, (ele, amigo, camarada e tb, claro, a equipe toda do Trampolim q é in-crí-vel!).
Só tenho coisas boas pra dizer dessa galera lá em Vitória, onde pudemos nos encontrar e fazer acontecer uma proposta com a BOLHA, trabalho q gosto tanto.

Tomara q nos encontremos Douglas, Tiago e Amanda, querida, que tb fez uma ação bem significativa e linda, o Despir-se Vestir-se, que pude acompanhar

abracos gente,
nos vemos
17. Douglas Pego
18/01/2011 10:31
ow galera,
acabo de voltar de um evento de performance no qual tive o prazer de conhecer Mavi e sua bolha. Participei da construçnao da bolha e da vivencia dela nas ruas de Vitória. É muito bacana!!! Te resgata para um infância, uma coisa mais livre, mais espontanea. Da muita vontade de ver varias delas.

quero muito ver isso acontecendo no mato.

bejao Mavi!
18. Angelo Luz
15/01/2011 23:20
Dentro da bolha na Serra da Mantiqueira! Na raça! Boa sorte!
19. Tiago Folador Galter
14/01/2011 15:05
Bom de mais meu irmão, a utilização desse material e a captação do ar que cria tensões diferentes em cada local...
Que os melhores ares soprem para vc em Terra Una e por ai...

Bacana te conhecer aqui no Trampolim ...Sucesso
20. Khalil Charif
10/01/2011 10:47
De grande leveza, uma proposta que traz presente a questão do lúdico... Muita beleza plástica... Muito interessante!!!

Mavi, vc conseguiu imagens belíssimas ali em BH (peguei no seu link do MIP2), e acabei de ver que vc vai com esse trabalho pra Vitória-ES... Manda ver lá!!!

Depois, se tiver chance, fala mais da sua resiência no Casa Tomada, que o projeto é dos mais importantes, creio eu.

Parabéns, meu caro!!!
Na torcida!

21. Gilio Mialichi
09/01/2011 13:05
Oi Mavi

Quanta proposta inscrita de qualidade...cada um com sua poética, objetivo e conhecimento adquirido durante a vida...

Aqui todos temos muito a oferecer e aprender também...e é por isso que estamos juntos nessa.

Aproveito para convidar aos que ainda não visitaram e apreciaram os projetos para fazê-lo. Vale muito a pena...pessoas novas, conhecidos, dúvidas, poéticas semelhantes,surpresas, emoções....diversidade!!!

Minha proposta inscrita é "Homocrisálida"... passem por lá e registrem suas impressões.

Também tenho um blog com imagens de outros trabalhos que contam um pouco da minha história artística. Se puderem visitem:

gilioarte.blogspot.com

Escrevam.......... gmialichi@hotmail.com

Até

Gilio Mialichi
22. Joubert Arrais
08/01/2011 08:32
Mavi,

Como uma arquitura dérmica, que me parecer ser tua proposta, temos que desenvolver diariamente boas estratégias para outra relação com o espaço pelo corpo que dança e performa.

Boa sorte!
23. Filipe Fernandes da Costa Vaz
07/01/2011 11:16
Valeu Mavi, curti também seu trabalho. Há etapas de confecção muito semelhantes.

Um abraço e suerte!
24. Gilio Mialichi Neto de Oliveira
04/01/2011 16:24
Olá Mavi

Gostei muito da sua proposta...as formas transparentes e possíbilidade de suspensão me atrem muto. Meu projeto apresenta-se em aglomerados suspensos.
Sua bolha deve ficar muito interessante em ambiente aquático também.

Parabéns e boa sorte

Gilio Mialichi
25. Rosa Yazigi
01/01/2011 17:47
Muitas vezes sair da bolha requer mais coragem do que entrar.